T-Cross Sense – Conheça a Versão de Entrada

O T-Cross Sense é uma versão da Volkswagen criada com foco nas vendas para o público PCD.
Taynara Doni
Em Carros Novos · há 1 anos atrás

O T-Cross Sense é uma versão da Volkswagen criada com foco nas vendas para o público PCD, mas acabou atraindo e ganhando a atenção dos brasileiros com sua versão arrojada e básica.

Justamente por isso, muitas dúvidas surgem sobre o que esperar com a compra, diferença em relação aos demais veículos da linha e valores de mercado. Confira!

Conheça o T-Cross Sense

A princípio, o T-Cross possui quatro versões. Inicialmente foi Sense 200 TSI com o foco para produzir a versão básica para o público PCD, seguido pelo 200 TSI, logo após o Comfortline 200 TSI e por ultimo o a topo de linha, o Highline 250 TSI.

Conforme Tabela Fipe, o valor de referência janeiro/2023 0km é de R$ 112.161,00. Sendo reduzido para R$ 98.562,00 para o ano/modelo 2020 a gasolina.

Neste cenário, a versão básica não tem sistema de som de série, não há opcionais e as rodas são de aço com calotas. As cores disponíveis são prata, branco ou preto.

O T-Cross Sense segue na configuração SUV, compacto com 4 portas e o valor médio do IPVA é de R$ 4.600 (2023), representando um aumento considerando 2022 e 2021.

T-Cross Sense – Conheça a Versão de Entrada
T-Cross Sense – Conheça a Versão de Entrada

A título de curiosidade, o nome é uma junção interessante. A letra “T” é uma regra para todos os SUVs da VW. Já o termo “Cross” é usado para se referir a aventuras. Ou seja, é só juntar tudo.

IMPORTANTE:

Para adicionar itens extras, você deve pular para versão diferente do básico. O sistema de multimídia, por exemplo, fica em mais de R$ 20 mil, mas tem um painel virtual e tela sensível. Outros adicionais incluem as tomadas USB, rodas de liga-leve e sensor de obstáculos traseiro, bem como frenagem automática de emergência.

Nova Versão do T-Cross

A nova versão do T-Cross vem para trazer maior conforto para o público, já que muitos itens foram limados da versão de R$ 70 mil para PCD.

Para isso, o SUV chega a casa de R$ 92.990 e ganha o sistema de multimídia com tela de 10 polegadas, rodas de liga leve, sensores traseiros, indicador da pressão dos pneus e frenagem automática após colisões.

Ao mesmo tempo, conta com câmbio automático de 6 marchas. Um item queridinho dos motoristas e que está presente também nas versões mais caras do T-Cross.

Outros destaques incluem o controle de estabilidade, ar-condicionado, controle de tração, faróis de neblina, alarme e mais.

Logo, o Sense é capaz de “brigar” com outros veículos amplamente buscados no momento, como o Nivus e Polo.

Mas será que vale a pena o T-Cross Sense?

T-Cross Sense – Conheça a Versão de Entrada
T-Cross Sense – Conheça a Versão de Entrada

Desde seu lançamento em 2019, o T-Cross Sense ganhou a atenção do público junto com o Nivus, sendo uma das opções que bateu recordes de vendas em Belo Horizonte e São Paulo.

Porém, a principal vantagem do veículo foi o preço competitivo quando comparado a outros do mesmo setor. Mas não significa ser um investimento barato.

Então, faz sentido analisar um pouco mais dos pontos positivos e negativos. Confira:

Pontos Positivos do T-Cross

Um dos principais pontos positivos do novo T-Cross Sense da Volkswagen é a dirigibilidade. Tanto no motor 1.0 quanto no 1.4. na primeira, a versão vem equilibrada e traz menos peso para o veículo. Já na segunda, o motor traz dinamismo e responsividade. Dessa forma, reduz a percepção dos impactos.

Além disso, há o quesito segurança. Já que o T-Cross conta com freios a disco nas quatro rodas e vem amplamente equipado com airbags.

Isso sem conta os controles de tração, estabilidade e bloqueio automático.

Os clientes da VW também destacam o conforto. Valendo-se para o espaço interno, organização e design, bem como para os ajustes do banco. Logo, é um veículo exuberante, bonito, altamente funcional e competitivo no mercado de SUV.

Pontos Negativos do T-Cross

Mesmo com todas as vantagens, algumas reclamações se tornaram comuns entre os compradores do veículo. Dentre elas, podemos citar o farol embaçado (culpa da má vedação) e o excesso de barulhos no interior (decorrente dos acabamentos).

Outro aspecto é o acabamento. Alguns clientes da marca alemã vem reclamando do plástico da composição, que não é pouco. Bem como do tamanho do porta-malas, de apenas 373 litros.

Claro que alguns ajustes internos aumentam o tamanho do porta-malas, mas pode comprometer a vida dos passageiros.

T-Cross Sense – Conheça a Versão de Entrada
T-Cross Sense – Conheça a Versão de Entrada

Então, vale a pena o T-Cross Sense?

Bom, cabe destacar ainda que a versão 1.0 é mais econômica nas estradas. Sendo que o motor 1.4 apresenta maior rentabilidade dentro dos centros urbanos. Algo a ser considerado conforme o uso de quem vai adquirir o T-Cross Sense.

Da mesma maneira, assim como outros bens, este tem vantagens e desvantagens a serem consideradas conforme usabilidade. Por exemplo, se você precisa de um porta-malas gigante, talvez essa não seja a melhor opção.

Mas, se quer um veículo esportivo, moderno, com diversos recursos e espaço interno de qualidade, é uma opção favorável.

O custo elevado pode ser um divisor de águas, mesmo nas versões mais básicas, levando muitos a buscarem carros usados. Com destaque para as primeiras versões de lançamento.

Tomando janeiro de 2023 como base de referência, o T-Cross 1.0 TSI Flex 12V 5p Aut modelo de 2020 tem um preço médio de R$ 103.626,00. Enquanto a mesma versão no modelo 2023, está na média de R$ 123.397,00.

VOLKSWAGEN T-CROSS
VOLKSWAGEN T-CROSS – Imagens_ vw.com.br

O desempenho é um destaque da empresa alemã, equiparando-se a outros concorrentes e apresentando poucas variações no quesito peso e dinâmica, uma vantagem quando pensamos na propulsão.

Por fim, se estiver na dúvida entre o T-Cross Sense e o Taos, o ideal é considerar a sofisticação e suspensão traseira (Taos) contra o eixo de torção do Sense. Logo, o último traz maior estabilidade, algo notado no dia-a-dia.